quarta-feira, 1 de agosto de 2012



Saturno: suas luas, seus aneis e seus mistérios


Adriana Oliveira Bernardes
adrianaobernardes@uol.com.br


É emocionante observar Saturno ao telescópio. Se você nunca viu, sugiro que não perca a oportunidade.Atividades de observação do céu são realizadas por planetários – como ocorre no Mast, por exemplo (Museu de Astronomia, no Rio). Pessoas interessadas em divulgar o assunto geralmente se reúnem em clubes de Astronomia.

Apesar das limitações dos aparelhos, não espere visualizar uma imagem como as divulgadas pelo telescópio espacial Hubble. Mas posso dizer que é uma experiência única. Sem dúvida, este é um dos mais belos planetas, com um sistema de aneis que lhe cofere uma beleza sem igual.

Das observações na Antiguidade, passando pelas descobertas de Galileu até chegar aos dias de hoje, Saturno sempre encanta.


Imagem de Satuno, com os aneis e a chamada divisão de Cassini.
O que Galileu viu de diferente neste planeta lhe pareceu apenas “orelhas” por conta da óptica pouco potente de sua luneta. Mas com as imagens obtidas pelas sondas espaciais que já passaram por lá foi possível apreciar até detalhes de seus aneis. A Pioneer, a Voyager I e II e a Huygens/Cassini, sondas espaciais americanas, já passaram próximas ao planeta, fotografando-o.

Saturno é observado desde a Antiguidade. Demora cerca de 29 anos para dar uma volta completa em torno do Sol. Isto fez com que o nome escolhido para ele fosse o do deus do tempo — a propósito, em grego seu nome é Cronos. Sobre Cronos sabemos que era filho de Urano e Gaia, pai de Zeus.

Saturno tem 62 luas. A maior delas, Titã, foi descoberta por Christian Huygens, um sábio holandês do século XVII que também foi responsável por uma das teorias que explica a natureza da luz: a chamada teoria ondulatória.

Uma das teorias que tentam explicar a existência dos aneis supõe que uma de suas luas foi despedaçada por um cometa ou asteroide atraído gravitacionalmente por Saturno.

Hoje em dia, a lua Encélado é o que mais intriga neste planeta. Ela foi descoberta por Herschel em 1789. A maior parte do que se sabe sobre ela foi obtida através de dados das sondas Voyagers.
Encélado tem 500 km de diâmetro. Comparada com nossa Lua, que tem 3476 km, é pequena. Ela reflete quase 100% da luz que recebe do Sol, sendo sua atmosfera formada por vapor de água (predominante), nitrogênio e metano.

Os gêiseres existentes nesta lua chamam a atenção dos cientistas. Eles estudam a razão de sua existência e o fato de ela dar origem a um dos sistemas de aneis deste planeta. 

A sonda Huygens/Cassini foi enviada em 1997 com o propósito de investigar como se formaram os aneis deste planeta. A viagem demorou sete anos. A nave chegou em 2004, com o objetivo de orbitar o planeta por quatro anos.

Imagem da Sonda Cassini

A sonda Huygens/Cassini é uma nave espacial formada por um orbitador (Cassini) e uma sonda (Huygens). Seu nome, além de ser uma homenagem a Huygens, também presta uma homenagem a Cassini, astrônomo italiano que descobriu um espaço vazio entre os dois aneis externos de Saturno.  Este espaço hoje é conhecido como “Divisão de Cassini”.

Algumas descobertas recentes dizem que seus aneis estão em movimento com grande velocidade. Sua espessura é de alguns metros, considerada pequena quando comparada a seu diâmetro de 100.000km.  Segundo os astrônomos, os aneis de Saturno podem ter se formado no tempo em que os dinossauros habitavam a Terra

Devido à importância dos conhecimentos sobre este planeta, voltaremos ao assunto futuramente, trazendo mais informações.

2 comentários: