sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Homem, o melhor amigo do cão...


Aluna colaboradora (à esquerda) e Indiara cuidando de um cão.
  Há tempos eles deixaram definitivamente para trás a instabilidade das ruas e fizeram do campus da UENF a sua moradia. Estamos falando de um grupo de oito cães — três fêmeas e cinco machos — que hoje vivem dentro da Universidade, onde recebem comida, carinho e a atenção de estudantes e servidores, além de cuidados médicos indispensáveis não só para a sua própria saúde quanto a do ambiente.

As principais responsáveis por isso são as estudantes Indiara Sales (doutoranda em Ciência Animal, formada em Medicina Veterinária) e Ana Carolina (aluna do curso de Zootecnia). Recentemente, todos os cães foram vacinados, vermifugados e identificados através de coleiras e carteiras de vacinação. Com isso, está afastado qualquer risco de transmissão de zoonoses no âmbito da comunidade universitária.

O trabalho só foi possível devido ao apoio do professor Antônio Peixoto Albernaz, chefe do Laboratório de Clínica e Cirurgia Animal (LCCA) do Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias (CCTA), que disponibilizou os setores do Laboratório para que fossem efetuadas as medidas sanitárias básicas.

Segundo Indiara, o trabalho junto aos cães começou em 2003, quando ela começou a cursar Medicina Veterinária na UENF. Recentemente, a Prefeitura da UENF exigiu que um professor da área de Medicina Veterinária fizesse o acompanhamento deste trabalho, para evitar a propagação de doenças e a necessidade de encaminhamento dos animais ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Campos.

— No entanto, este trabalho começou em 2003, quando comecei a cursar Medicina Veterinária na UENF. Na verdade, estes animais nunca estiveram entregues à própria sorte. Eles são alimentados e as fêmeas, esterilizadas; logo não há reprodução dentro do campus. Além disso, sempre receberam cuidados veterinários — disse.

Mário Sérgio de Souza e Fúlvia D'Alessandri

Um comentário:

  1. Achei o máximo! Cada um fazendo um pouquinho, não pesa para ninguém.

    ResponderExcluir